quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Precisamos qualificar a nossa gente

É voz corrente de que o trabalho dignifica a pessoa. Mas para conquistar o mercado, faz-se necessário o preparo. Os órgãos que lidam com ofertas de emprego encontram uma grande barreira para encaixar os desempregados nas vagas oferecidas, em virtude da falta de qualificação. Existe o espaço, mas não a competência necessária em grande parte dos casos. Essa é uma realidade que dói, e precisa ser modificada com mais investimentos por parte dos governos.

Como empresário, há anos estamos promovendo nas empresas que comandamos cursos de profissionalização por entendermos que o funcionário capacitado, logicamente, produz mais, passa a ter melhores rendimentos e vive com dignidade. Vai se formando um ciclo em que os dois lados são beneficiados: patrões e empregados. O crescimento deve ser de todos.

Por acreditar que a profissionalização abre portas, afasta o jovem da criminalidade e permite a realização de sonhos é que ao lado de outras autoridades, lutamos para a criação de estruturas que contemplam a qualificação profissional no Estado, da mesma forma que investimos na industrialização, responsável por gerar emprego e renda. É neste contexto que julgo importante o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) em Aparecida de Goiânia, que começa a funcionar nesse primeiro semestre com cursos técnicos integrados ao ensino médio em Edificações, Química e Agroindústria.

Uma cidade do porte de Aparecida, a segunda maior do Estado, não poderia deixar de receber um instituto como este, essencial para a formação técnica. Há alguns anos, Aparecida de Goiânia era considerada a “Baixada Fluminense” pelo alto índice de criminalidade. No início, poucos acreditavam em um lugar com esta característica. A realidade é que muitos tinham medo ou vergonha de viver na cidade. Como um dos fundadores e presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia, (Aciag), ajudamos na atração de empresas, o que mudou o perfil do município.

A instalação do IFG é mais um salto por permitir o aprimoramento profissional em diversos setores da economia, oferecendo cursos técnicos, tecnológicos, bacharelados e licenciaturas. Não tenho dúvida de que por meio de investimento em educação, na valorização humana, é que teremos uma Nação mais justa e um povo desenvolvido. Essa é a nossa luta.

Em agosto do ano passado, contribuímos para implantar na FANAP, Faculdade Nossa Senhora Aparecida, o curso de Direito, permitindo com que as pessoas tivessem acesso a uma profissão tão importante em sua própria cidade. Foi assim também com a regulamentação do curso de medicina da UniEvangélica em Anápolis, entre outros.

O Brasil vai receber eventos significativos nos próximos anos, principalmente a Copa do Mundo e Olimpíadas. Por isso, temos que nos preparar em todas as funções para aproveitarmos o grande volume de recursos que entrarão no País e, ao mesmo tempo, mostrar ao mundo a nossa capacidade profissional. Estamos atentos e lutando para que a nossa gente tenha uma melhor qualidade de vida, e a qualificação é um caminho essencial.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir